Dúvidas na Urban Remedy

Nós da Urban Remedy selecionamos e desenvolvemos os melhore kits para suas necessidades com dezenas de opções deliciosas, veganas que não contém glúten

“Um jejum de 3 dias pode regenerar o sistema imunológico” Dr. Valter Longo


"Quando passamos fome, nosso sistema procura economizar energia e uma das coisas que ele faz para economizar energia é reciclar glóbulos brancos que não estão sendo utilizados, principalmente aqueles que estão danificados” Dr. Valter Longo


“O jejum permite que as células descansem, renovem-se e reconstruam-se. Essencialmente, elas retiram o lixo, enquanto o corpo passa a queimar ao invés de estocar gorduras. As células não conseguem fazer esta limpeza enquanto o corpo está constantemente ingerindo alimentos, estocando calorias e levando as células e órgãos à exaustão”. Dr. Valter Longo


“Além de produzir CÉLULAS NOVAS, durante o jejum o organismo se livra de partes do sistema que estão velhas, danificadas ou ineficientes” Dr. Valter Longo


Dr. Longo é professor de Gerontologia (estudo do envelhecimento) e Ciências Biológicas na Universidade da Califórnia.

De acordo com os resultados de anos de pesquisas em roedores e seres humanos, Dr. Longo concluiu que quando estamos em jejum, nosso organismo sinaliza para células tronco produzirem novos glóbulos brancos (que combatem infecções), assim regenerando o sistema imunológico inteiro. Dr. Longo diz que as descobertas podem ser extremamente benéficas para pessoas que estão com o sistema imunológico comprometido, como por exemplo pessoas sob efeito de quimioterapia e idosos cujos sistemas imunológicos já não são mais tão eficientes.

Dr. Longo diz que além do organismo usar reservas de glicogênio e gordura durante o jejum ele também se livra de glóbulos brancos, o que induz as células tronco a produzirem mais destas células que compõem nosso sistema imunológico. Além de produzir células novas, durante o jejum o organismo se livra de partes do sistema que estão velhas, danificadas ou ineficientes.

Nas pesquisas clínicas, as pessoas fizeram jejum de 2-4 dias regularmente durante um período de 6 meses. Outra descoberta interessante, foi a redução da enzima PKA, correlacionada ao envelhecimento e a um hormônio que aumenta o risco de câncer e crescimento de tumores.

"Nós jamais imaginamos que o jejum prolongado teria um efeito tão formidável em promover uma regeneração do sistema hematopoiético”, diz o Dr. Longo, "Quando passamos fome, nosso sistema procura economizar energia, e uma das coisas que ele faz para economizar energia é reciclar glóbulos brancos que não estão sendo utilizados, principalmente aqueles que estão danificados”

“O que percebemos em nossos estudos com animais e seres humanos, foi que a contagem de glóbulos brancos diminui com jejum prolongado. Depois, quando voltamos com a alimentação normal, os glóbulos brancos voltam. Então começamos a pensar, de onde elas vêm?

Jejum de 72 horas também protegeu pacientes de câncer contra o impacto tóxico da quimioterapia.

“A quimioterapia salva vidas, porem causa danos colaterais significativos para o sistema imunológico. Os resultados deste estudo sugerem que o jejum pode mitigar estes efeitos colaterais," disse a coautora do estudo, Tanya Dorff, professora de medicina clínica na Centro no Norris Comprehensive Cancer Center and Hospital da Universidade do Sul da Califórnia.

"Estamos investigando a possibilidade de que estes efeitos se aplicam a outros sistemas e órgãos e não somente o system imunológico, diz Longo.

Dr. Longo não recomenda um jejum a base de água, ou mesmo a abstenção total de alimentos. A recomendação é a ingestão de alimentos frescos à base de plantas, totalizando de 800 a 1100 calorias por dia, que têm o efeito de imitar o jejum completo.

Aqui na Urban Remedy sempre acreditamos no poder regenerador desta prática milenar. Temos muito orgulho de termos sido pioneiros no Brasil em lançar alimentos líquidos e vivos que facilitam a prática do jejum. Nosso cardápio de mais de 30 variedades de alimentos líquidos garante nutrição adequada e muito sabor nos dias de jejum.

Leia mais em:
http://www.sciencemag.org/news/2017/02/five-day-fasting-diet-could-fight-disease-slow-aging
https://bluezones.com/2016/04/fasting-for-longevity/
http://www.telegraph.co.uk/news/science/science-news/11683736/Five-day-fasting-diet-slows-down-ageing-and-may-add-years-to-life.html
https://www.statnews.com/2017/06/13/fasting-diet-valter-longo/

“70% da sua serotonina é produzida no seu intestino. O que acontece no seu intestino afeta seu humor, ansiedade, depressão e foco” Dr. Frank Lipman

Quem nunca ouviu o termo “enfezado” para descrever alguém bravo, fora de si? Enfezado literalmente significa cheio de fezes. A serotonina é responsável pelo nosso humor, ciclo de sono e percepção de dor. Apesar da serotonina ser um neurotransmissor ela é produzida em nosso intestino, com a ajuda de diversos tipos de bactérias benéficas. Tudo que você come afeta a saúde do intestino. Intestino preso é uma condição extremamente perigosa, que afeta milhares de pessoas. Nosso intestino tem uma parede permeável e as toxinas de matéria fecal estagnada voltam para a nossa corrente sanguínea quando as fezes não são evacuadas. É fundamental que seu intestino funcione diariamente. Uma dieta a base de plantas, rica em fibras é ideal para atingir o equilíbrio da flora intestinal, facilitar o trânsito do bolo fecal e garantir que seu intestino funcione regularmente. Hidratação adequada também é fundamental – beba no mínimo 2 litros de agua ou suco de verdura diariamente. Evite a todo custo excesso de açúcar, farinhas brancas, proteínas animais, alimentos processados em geral que são de digestão lenta e custosa para nosso organismo e ainda vêm com dezenas de aditivos químicos.

“O alimento é a maior ferramenta que temos na luta contra o mal de Alzheimer” Dr. Dean e Dra. Ayesha Sherzai

47 milhões de pessoas no mundo vivem com Alzheimer. A previsão para 2050, é que esta forma de demência afetará 135 milhões de pessoas. Embora a medicina não tenha remédios ou cirurgias para esta doença, 90% dos casos podem ser evitados. Os pesquisadores e neurologistas Dr Dean Sherzai e Dra Ayesha Sherzai - co-diretores do programa de Saúde Mental e Prevenção de Alzheimer do Centro Médico da Universidade de Loma Linda – acabam de concluir a maior e mais completa pesquisa clínica no assunto e dizem que 90% dos casos de Alzheimer podem ser evitados através de mudanças em estilo de vida que incluam exercícios físicos, alimentação anti-inflamatória e predominantemente vegetariana, técnicas de relaxamento, controle de stress, sono adequado e uma vida social rica em conexões profundas. Mesmo nos casos onde há propensão genética para demência, os sintomas podem ser adiados por mais de 15 anos e o declínio cognitivo pode ser atenuado. Nosso cérebro é profundamente afetado por nossas escolhas diárias – assim como nosso pulmão, fígado, coração. Podemos manter a saúde do cérebro e aumentar nossa capacidade cognitiva escolhendo comer alimentos naturalmente funcionais e anti-inflamatórios como verduras e frutas frescas, sementes e castanhas, legumes, algas marinhas e outros super alimentos. Saiba mais no livro Dr Dean Sherzai e Dra Ayesha Sherzai: The Alzheimer´s Solution: A Breakthrough Program to Prevent and Reverse Symptoms of Cognitive Decline at Every Age

“O Alzheimer e outras formas de demência se manifestam dos 60 a 70 anos de um indivíduo, mas o processo de declínio cognitivo começa pelo menos 25 anos antes. Mudanças patológicas começam muito cedo. Portanto, nunca é cedo demais para começar a preservar a saúde do cérebro e prevenir Alzheimer. Faça mudanças em seu estilo de vida o quanto antes” Dr. Dean e Dra. Ayesha Sherzai

47 milhões de pessoas no mundo vivem com Alzheimer. A previsão para 2050, é que esta forma de demência afetará 135 milhões de pessoas. Embora a medicina não tenha remédios ou cirurgias para esta doença, 90% dos casos podem ser evitados. Os pesquisadores e neurologistas Dr Dean Sherzai e Dra Ayesha Sherzai - co-diretores do programa de Saúde Mental e Prevenção de Alzheimer do Centro Medico da Universidade de Loma Linda – acabam de concluir a maior e mais completa pesquisa clínica no assunto e dizem que 90% dos casos de Alzheimer podem ser evitados através de mudanças em estilo de vida que incluam exercícios físicos, alimentação anti-inflamatória e predominantemente vegetariana, técnicas de relaxamento, controle de stress, sono adequado e uma vida social rica em conexões profundas.
Mesmo nos casos onde há propensão genética para demência, os sintomas podem ser adiados por mais de 15 anos e o declínio cognitivo pode ser atenuado.
Nosso cérebro é profundamente afetado por nossas escolhas diárias – assim como nosso pulmão, fígado, coração. Podemos manter a saúde do cérebro e aumentar nossa capacidade cognitiva escolhendo comer alimentos naturalmente funcionais e anti-inflamatórios como verduras e frutas frescas, sementes e castanhas, legumes, algas marinhas e outros super alimentos.

Saiba mais no livro Dr Dean Sherzai e Dra Ayesha Sherzai:
The Alzheimer´s Solution: A Breakthrough Program to Prevent and Reverse Symptoms of Cognitive Decline at Every Age

“Até você acertar a sua nutrição, nada vai mudar.” Lillian Muraya

Você é o que você come. Não subestime a importância de nutrir seu organismo com uma variedade de alimentos frescos, naturais, colhidos da terra. Eles contêm todos os minerais, vitaminas, amino ácidos e enzimas essenciais para construir um corpo e um cérebro saudáveis.

"Eu não conheço nada na medicina que se aproxime da transformação que uma dieta plant-based consegue causar".

Dr. T. Colin Campbell, há décadas à frente de pesquisas sobre nutrição, principalmente no que diz respeito a correlação entre dieta e doenças como o câncer. Sua famosa pesquisa The China Project, é um dos mais completos e longos estudos sobre saúde e nutrição já executados. Leia mais em: The China Study: Startling Implications for Diet, Weight Loss and Long Term Health.

“Não há nada mais destrutivo para a psique de uma criança, do que condicioná-la a acreditar que envenenar-se com junk food é um prêmio ou ocasião especial” Jason Christoff

Muitos pais oferecem produtos excessivamente doces, cheios de corantes e conservantes aos seus filhos como recompensa por bom comportamento ou pior, por terem comido bem. Esse paradigma está muito presente em nossa cultura. Comer bem é sinônimo de amor próprio, auto cuidado e auto respeito e jamais deve ser condicionado a prêmios, sobretudo se os prêmios forem tóxicos para a saúde. Os bons hábitos começam cedo e as crianças aprendem por exemplo dos pais e cuidadores.

Fontes de proteína plant-based:
3 colheres de sopa de LINHAÇA = 5.7 gramas
3 colheres de sopa de SEMENTE DE CHIA = 6 gramas
3 colheres de sopa de GERGELIM = 4.8 gramas
3 colheres de sopa de SPIRULINA = 12 gramas
3 colheres de sopa de PROTEÍNA DE ERVILHA= 24 gramas
1 xicara de AMÊNDOAS= 30 gramas
1 xicara de SEMENTE DE ABÓBORA = 12 gramas
1 xicara de CASTANHA DE CAJU = 20 gramas
1 xicara de SEMENTE DE GIRASSOL = 29 gramas
1 xícara de LENTILHA = 18 gramas
1 xícara de QUINUA = 8 gramas
1 xícara de GRÃO DE BICO = 39 gramas
100 gramas de ESPINAFRE = 2.9 g

Aqui na Urban Remedy usamos todos estes ingredientes para compor receitas plant-based com densidade nutritiva e muito sabor. Germinamos todas as sementes, grãos e castanhas para ativar nutrientes poderosos e desativar anti-nutrientes.
Vale lembrar que as proteínas são compostas de aminoácidos. Todos os aminoácidos, inclusive os 12 essenciais (aqueles que nosso corpo não produz e obrigatoriamente precisamos obter na alimentação), estão presentes nos vegetais. Uma alimentação plant-based, repleta da de uma variedade colorida de ingredientes garante que você tenha um aporte de proteínas adequado e de fácil assimilação. Plant power!

“A mudança mais impactante que você pode fazer para a sua saúde é adotar uma dieta plant-based” Tom Arguello

Uma dieta plant-based nos dá a chance de prevenir doenças crônicas, aumentar a imunidade, ter mais energia, melhorar a qualidade de sono, entre muitos outros benefícios. Plantas promovem proteção prolongada.

“Em pesquisas clínicas, uma dieta vegana causou mudança na expressão de 500 genes em 3 meses. Ativou genes que previnem doenças e desativou genes que causam câncer, doenças coronárias e outros males.”

Uma dieta plant-based nos dá a chance de prevenir doenças crônicas, aumentar a imunidade, ter mais energia, melhorar a qualidade de sono, entre muitos outros benefícios. Plantas promovem proteção prolongaEsse é o resultado de pesquisas científicas lideradas pelo Dr Dean Ornish e Dra Elizabeth Blackburn, vencedora do prêmio Nobel de Medicina pela descoberta da telomerase, enzima que recupera telômeros, que por sua vez protegem nossos cromossomos. Não somos vítimas de nossa genética. O poder de tomar as rédeas da sua saúde está em suas mãos e nas escolhas que você faz diariamente.
Saiba mais assistindo a este TED TALK da Dra. Elizabeth:



“Você precisa saber a verdade sobre os alimentos e porque alimentar-se corretamente pode salvar a sua vida”

Dr. T. Colin Campbell, há décadas à frente de pesquisas sobre nutrição, principalmente no que diz respeito a correlação entre dieta e doenças como o câncer. Sua famosa pesquisa The China Project, é um dos mais completos e longos estudos sobre saúde e nutrição já executados. Leia mais em: The China Study: Startling Implications for Diet, Weight Loss and Long Term Health.